domingo, 6 de julho de 2008

Gibis da Terra do nunca!




A pouco tempo duas notícias animaram o mercado nacional de quadrinhos. A primeira foi o lançamento de "A Cartomante", romance de Machado de Assis, adaptado por Mauricio O. Dias e Flávio de Souza, lançado pela Jorge Zahar Editora (aqui). A segunda Noticia é de que o Governo Federal inclui mais uma vez no edital do PNBE, a proposta de levar histórias em quadrinhos para escolas de todo o Brasil, como forma de aprendizado, duas editoras que se aliaram a proposta foram o Conrad, com a adaptação de "A Reliquia" de Eça de Queirós, adaptada por Marcatti, e a Agir com a adaptação de "O Alienista" de Machado de Assis, feita por Gabriel Bá e Fabio Moon(Blog dos quadrinhos).


Isto nos leva a relembrar toda a história das Hqs no Brasil.




No Inicio, era o Terror que dominava a arte sequencial no Brasil, gênero que abriu as portas para esta arte no país, nesta época, por volta de 1954, nos Estados Unidos entrava em vigor o Comic Code Authority, entidade que limitava toda a Liberdade criativa dos artistas das Hqs, fato que levou a falência a E.C Comics, maior editora de quadrinhos de Terror nos EUA. Enquanto isso no Brasil, elas conquistaram o país, nesta época e posteriormente, surgiram os que ficaram conhecios até hoje como os grandes mestres do Terror, Eugênio Colonnesse, Julio Shimamoto,Jayme Cortez, entre tantos outros. Revistas como Mestres do Terror, Calafrio e Dr. Spektro, são clássicos das Hqs Nacionais.

Mas nem só de sangue e trevas vive a Hq Nacional, outro grande eixo de histórias é o humor, desde as publicações de tiras cômicas em alguns Jornais do País, até a criação da Chiclete com Banana, nos anos 80, por Angeli, onde se revelaram grandes escritores nacionais. o Humor Critico sempre prevaleceu, porém não é o único, mesmo sem citar o "Imperio Turma da Mônica", ainda temos as coletâneas de autores como Adão Iturrusgarai, com tiras cômicas de personagens famosos como "Aline", por exemplo. O terror abriu as portas e o Humor dominou a cena, devido a isso podemos dizer que a vertente mais importante do quadrinho nacional, é o humor. Porém continua não sendo a única.



Temos os ótimos Gabriel Bá e Fábio Moon, que publicama a excelente 10 Pãezinhos e tem , inclusive trabalhos Internacionais concorrendo ao Eisner (Blog 10 Pãezinhos).

Podemos citar também o grande trabalho de Lourenço Mutarelli, desde de "Desgraçados", até a "Soma de Tudo", dois ótimos trabalhos do autor, ele mostrou sua competência para escrever quadrihos, mesmo em um mercado abalado, e instável como é o Brasileiro.

O que vem ajudando bastante os novos autores é a proliferação das Hqs on-line, que inclusive conta com uma Editora especializada, A Quarto Mundo (veja!), que pubica ótimos trabalhos de autores nacionais, que não encontram espaço nas grades Editoras do Brasil. Também temos a Marca da Fantasia que publica grandes trabalhos nacionais Independentes.Um ótimo, e recente, trabalho on-line foi a publicação de Nosferatu de Ricardo Soathman (Dowload gratuito)

Foi um longo caminho, até o Brasil se encontrar com as Hqs, mas como foi dito no inicio, com o (suposto) apoio do governo Federal, e com ótimos roteristas que temos a tendência é crescer cada vez mais.

Algumas Leituras recomendadas, para quem quiser conhecer um pouco mais as Hqs nacionias, além de todas as já citadas neste artigo:

Estórias Gerais, Wellington Srbek e Flavio Colin - Conrad Editora

Shima, Julio Shimamoto - Marca da Fantasia

Antologia Chiclete com Banana, Vários Artistas - Devir Editora

Piaratas do Tiête, Laerte -Devir Editora

A Soma de Tudo, Lourenço Mutarelli - Devir Editora


É isso. Que as Hqs brasileiras tenham pela frente um futuro incrível, seja no terror, no humor ou em adaptações literárias. O maior beneficiado sempre será o Leitor.


3 comentários:

Magal disse...



Muit bom artigo, cheio de informações e links prestativos..parabens!

Mas tá precisando de uma revisão gramatical e textual imediatamente...XD


ASS:Sr.C

Doutor Radioativo disse...

Nossa!!!!

Eu revisei o texto tres vezes antes de postrar e agora li de novo

Me aponte os erros por favor, não estou achando mesmo!!!!!!!

MInha INternet estava ruim no dia e por isso fui obrigado a reler o testo até a situação estabilizar...

Mauricio disse...

Uma correção: O ilustrador da hq "A Cartomante" chama-se Flavio Pessoa.

BlogBlogs.Com.Br