quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Qual plano de dominação global da Google para 2010?!


O ano de 2009 teve balanço um pouco negativo para a maior empresa de internet do mundo, além de perder muitos funcionários importantes, a Google não conseguiu atingir muitos dos seus objetivos. Mesmo com tudo isso, a empresa continua liderando o mercado, e traçou suas metas para 2010, veja algumas das suas principais:

- A Google lançará um serviço que indexará e ranqueará aplicações de internet

Boa parte da mudança será relacionada ao seu buscador, principalmente com algumas "novidades" do Bing, a google se armou.

- O google.com utilizará diferentes interfaces para buscar resultados, dependendo das suas configurações.

- Você poderá fazer upload de uma imagem pelo Google Images, e fazer uma busca de imagens que se relacionam com a sua.

- A Google criará plataformas para os usuários ajudarem a empresa a criar um melhor sistema de buscas.

- O Android(Sistema Operacional para Smartphones da Google) será mais popular que o Windows Mobile.

- Muitos navegadores irão copiar as novidades do Google Chrome: uma interface simples, o modelo de desenvolvimento, as leves extensões, sanboxing, compilação de JavaScript.

- O sistema de bloqueio de spam do Gmail será mais transparente e eficiente

- A Google irá comprar o serviço de músicas Spotify, e fará dele gratuito.

- O Google Chrome receberá uma das maiores novidades do Google Chrome OS

- O Google Desktop será descontinuado, e dará espaço ao Google Quick Search Box.

E uma das mais importantes notícias, que é bem rara nesse meio, que é a Google confessando o fracasso do Google Wave, e uma certa "jogada de toalha" em relação ao excelente serviço.

- O Google Wave não terá sucesso, mas suas novidades serão usadas em outros produtos da Google.

Para ver todas as novidades, em inglês, clique aqui.

Continue lendo >>

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Um novo horizonte para os heróis?!


Os filmes de super-herói sempre foram recheados de fracassos e polêmicas, afinal, adaptar algo que tem milhões de fãs sempre é um desafio. Algumas "exceções" dos últimos tempos tem mudado essa visão, a nova franquia do Batman dispensa comentários, e Homem de Ferro e Watchmen dão uma nova esperança para o mercado, marcado por filmes lamentáveis(Demolidor, Batman & Robin, Superman 3 e 4) e filmes de médios a legais(Franquia Homem-aranha, Superman Returns, O Incrível Hulk, etc.).

Mas parece que os últimos acertos cinematográficos, tanto Marvel e DC, parecem estar apostando mais em potenciais de não só criar "filmezinhos adolescentes" que vendem muito, mas sim criar grandes filmes, que agradem fãs de críticas. Uma das provas disso é a bela organização da Marvel Estúdios, que pretende não só lançar um grande épico com atores de nome para o filme do Thor, como tem uma cronologia muito bem planejada, e um ótimo horizonte para o filme futuro do Capitão América e Vingadores, não se esquecendo da estréia Homem de Ferro 2.

A DC por sua vez, comandada pela Warner parece estar meio perdido em relação as franquias dos seus heróis mais famosos, Batman e Superman. Mas a grande esperança está em Lanterna Verde. Com o bom diretor Martin Campbel(Cassino Royale), o filme contrata também o razoável ator Ryan Reynolds(X-men Origins: Wolverine). Mas o filme que exigirá um grande orçamento, grandes locações, efeitos especiais e um clima épico contratou recentemente uma equipe de muito respeito. Como diretor de fotografia foi contratado o vencedor do oscar, Dion Beebe, que venceu o prêmio máximo do cinema por "Memórias de uma Gueixa". Para criar os designers de cenários e figurinos foram contratados Grant Major e Ngila Dickson, nada mais nada mesmo, que os vencedores do Oscar pela excelente trilogia "O Senhor dos Anéis". E para completar o time, François Audouy, como diretor de arte, que trabalhou no incrível Avatar, e também em Watchmen e Transformers.

Os horizontes estão excelentes para os filmes de super-heróis, apesar da franquia Homem-aranha estar perdida, será que os estúdios finalmente vão começar a se concentrar não só para criar blockbuster adolescentes, mas sim para criar grandes filmes, que agradem a(quase) todos?

Continue lendo >>

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Os 10 maiores artistas da música nacional nos anos 00


É pessoal, a década tá acabando e eu e o Inconformado preparamos um especial com os 10 mairoes artistas nacionais ei nternacionais da década de 00.


Eu, como todo o patriota, fiz o dos nacionais, amanhã sai o dos internacionais pelo nosso amigo emo Inconformado (se ele não for um emo preguiçoso).

1 – Marcelo D2

O ex-membro da polêmica Planet Hemp lançou o álbum “Eu tiro é onda”, alcançando um prestigio inimaginável para um rapper defensor da legalização da maconha.

Tudo isso se deve ao fato de D2 não ter preconceitos musicais, misturando Samba, Rock, Hip Hop e Manguebit em suas canções. Após a morte de Chico Science, D2 se mostra o grande alquimista musical, verdadeiro herdeiro do pernambucano.

Esse herança é tanta que, em seu maior hit, “Qual é?”, D2 mostra o seguinte verso :”E lembrando de Chico, comecei a pensar, que eu me organizando posso desorganizar”, em citação óbvia ao maior clássico de Chico Science, “Da lama ao caos”.

Sem fronteiras, D2 não se inspira só em Science, mas em James Brown, Bezerra da Silva, Cartola, entre outros.Esse caldeirão musical dá a Marcelo D2 o primeiro lugar na lista.

2 – O Rappa

Não é necessário falar muito para justificar.Mais um herdeiro do alquimismo musical gerado pelo Manguebit nos anos 90, a banda paulista atravessa fronteiras mais, digamos, rústicas de D2.

As distorções pesadas de guitarras e o vocal ameaçador de Falcão, misturada com os batuques reggeiros, geram uma miscigenação undreground, sem deixar de ser pop.

Mas, não podemos nos esquecer das letras.Sem romantismos, o apelo social é gigantesco.E mesmo após “se vender para a grande mídia” o Rappa não perde esse apelo.Taí uma digna segunda posição.

3 – Vanguart

O folk rock está morto.Isso é inegável.Bobby Dylan ainda tenta mentir para nós, mas ele mesmo sabe que seu ritmo morreu.

Mas, tudo na música pode ressuscitar, não é mesmo?E essa ressurreição do folk rock deve sair de um barzinho sujo em Chicago, com jovens idealistas, certo?NÃO.

A volta do folk rock saiu dos pântanos pesados e férteis do Centro-Oeste brasileiro.Com sotaque carregado, a banda Vanguart estourou seu primeiro sucesso “Semáforo” no inicio do ano passado.É do final da década, mas mesmo assim está válido.

Quebrando todas as barreiras do preconceitos, a Vanguart, junto com sua maior apoiadora, Malu Magalhães, conquistou o Brasil e está em processo de descobrimento.Pelo bem desse ritmo tão vivo, esperamos que a banda continue assim, lembrando o velho Dylan.

4 – Pitty

É improvável imaginar que uma cantora nordestina, com apenas 3 discos lançados, possa alcançar tamanho sucesso.Mas aconteceu.

Não é exagero falar que “Admirável Chip Novo” seja, provavelmente, uma das canções mais emblemáticas do Rock Brasil pós-anos 80.Esqueçam o alienado último álbum, e lembrem dos dois anteriores.Pitty tem muito o que mostrar ainda, e vai mostrar.

Pitty tem o apoio popular em seus ombros, coisa que dês dos anos 80 nenhum roqueiro tinha.Pitty se mostra a última chama de esperança da sobrevivência do rock NOVO em nossa nação.

5 – Cordel do Fogo encantado

Quando os gênios de Bobby Dylan se encontram com os de Chico Science, temos isso.

Provavelmente a última resistência pop do Manguebit, Cordel do fogo encantado emplaca de maneira mediana na mídia. Mas, em poucos anos de carreira, conseguiram algo que nem Fred Zero Quatro com sua Mundo Livre S/A conseguiu, o apoio da MTV.

O hit “Chover” é uma aula de como fazer um manguebit calmo, sem os exageros de Science e Zero Quatro, misturado de maneira forte com os ritmos sertanejos e ainda, com trechos falados, como se fosse uma áudio peça.É uma música belíssima que define o movimento em todas as suas características.

6 – Los Hermanos

Banda mediana, em todos os conceitos da mediocridade.

Se fosse para colocá-la em um lugar pela sua qualidade, provavelmente ela ficaria em 10 nessa lista.mas não Foi como ela fez, e sim o que ela fez que a coloca em pilares mais altos.

Não sei se vocês já foram no carnaval de Salvador, mas, se não foram, vou avisa-los:é tudo que um grande artista iria querer.

E o grupo “Los Hermanos” teve isso.O sucesso bombástico de “Anna Júlia” ultrapassou as barreiras do Rock ‘n Roll e chegou até o carnaval baiano e muito mais.

Hoje, a banda se mantém entre trabalhos solos e pequenos shows.Mas, no fundo, todos nós lembramos que, um dia, já ouvimos “Anna Julia”.

7 – Vanessa da Mata

Outra “filha do pantanal”, Vanessa inovou ao misturar MPB com ritmos pop.Tornou-se provavelmente a artista de MPB mais conhecida da década, com rits que variam do hiper pop (“Boa sorte/Good Luck”), e poesias fantásticas sobre o amor atual (“Amado”).Até músicas grudentas estilo anos 80 (“Ai, ai, ai”).

Com repertorio variado e sem preconceitos, Vanessa conquista platéias de um barzinho de boteco até grandes festivais europeus.Merece o sétimo lugar.

8 – Seu Jorge

Provavelmente o mais ouvido dos membros dessa lista, Seu Jorge já foi membro da Planet Hemp, no polêmico álbum “A invasão do sagaz homem fumaça”.

Mas, de lá pra cá, tem perdido um pouco de seu “grito do morro”, que nos fazia lembrar um pouco Jorge Bem e Bezerra da Silva, para se tornar mais um boneco da MTV.Felzimente, isso não atrapalhou de maneira tão drástica o seu trabalho, pois ele ainda lança músicas fantásticas como “Burguesinha”, que, mesmo sem uma letra tão convincente, atinge o favelado e o intelectual.Esse choque social gerado pro sua música lhe rende o oitavo lugar.

9 – Falamansa

Forró bem feito em SP?Impossível!

Sim, como todo o nordestino, eu duvidei, esperneei, mas acabei ouvindo. E como todo o nordestino que fez o mesmo, eu me surpreendi.

O grupo Falamansa se mostra um verdadeiro filho de Luiz Gonzaga, fazendo músicas românticas que podem ser adaptadas a qualquer casal.

Sem abandonar os instrumentos da cultura nordestina, claro.

Falamansa faz forró inteligente e divertido, com um pesado sotaque paulista, o que dá um tom de inovação no som.

10 – Pedra Letícia

O trio bem humorado de Goiânia é um dos poucos “fenômenos da internet” que deram certo, tanto no sentido de mídia quanto no sentido de qualidade.

O hit “Teorema de Carlão” já é uma das músicas mais executadas em bares, animando os bebuns que desejam também sua baranga para passar a noite.

Os “novos mamonas” já foramn descobertos pela Rede Globo e pela MTV e já tem um álbum gravado.Esperamos que esses “novos velhos rapazes” estoure, como merece.

Continue lendo >>

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Sim, eu vi Avatar


E recomendo.


Acreditem, é o filme pra salvar 2009 (ano ruim para o cinema).

Falando em termos lógicos, o filme não é tão bom.Mas ele é revolucionário, muito revolucionário.

Fator número 1:Efeitos especiais.

Dizer que os efeitos especiais não fazem o filme é totalmente correto.Mas excluí-los do processo crítico é excluir um pedaço do filme.E nesse caso eles devem ser notados.

Poderia gastar minhas preciosas linhas falando sobre o caminhão monstruoso de dinheiro gasto pra realizar.Mas não vou faze-lo

O que vou fazer é, simplesmente falar que James Cameron usou sua conhecida inteligência para aplica-los de maneira útil.Eles são facilmente aplicáveis ao filme e a película não funcionaria sem eles.Não só pelo apelo estético, mas o tom que foi dado a esses efeitos se entrelaça ao roteiro, tornando-os parte essencial.

Diferente de películas como Watchmen, onde os efeitos estão ali para aumentar a bilheteria.Fica mais próximo de Matrix, onde os efeitos são necessários e alteram a história.

Fator número 2: Criatividade

O filme apresenta uma inversão dos dogmas e medos americanos, apresentando um medo mais, digamos, marxista.

Os nossos amigos do norte pararam de ser os pobres indefesos e invadidos e passam a assumir um papel muito próximo do deles.Eles são invasores, exploradores e mesquinhos.Só pensam em si mesmos e em sua falta de recursos naturais causada pelo seu consumo indevido.As comparações com a invasão do Iraque, que já dura quase uma década, são inevitáveis e, muito provavelmente, são desejáveis nesses tempos em que ser anti-estadunidense está na moda.

Nós, brasileiros, também podemos fazer uma comparação muito próxima.Afinal, os "Na'avi" (povo nativo da lua que os estadunidenses invadem durante a história) vivem em paz com sua natureza e com os animais.Os índios tupi-guarani aqui do Brasil viviam de maneira próxima.Sem proprieda privada ou trabalho escravo, nossos índigenas viviam para uma sociedade onde sua função jaá estava definida e todos viviam em paz com isso.

Mas os europeus, com seu mundo "desenvolvido" chegaram e foram aos poucos, retirando esses recursos.Com sua arrogancia, forçaram os índigenas a aprender o catolicismo e o protestantismo, acabando com toda a cultura social.O homem "industrializado" destrói a sociedade perfeita.De novo, Marx entra nessa história.
Fator 3:A história

Embora no início do filme ela se mostra confusa, o filme ganha ares reais de sequencialismo.Ou seja, a sequencia do filme nos acompanha cronologicamente, de maneira com que tudo o que parecia confuso é explicado em pequena míucias durante a película.

A história é fraca e repetitiva.Mas funciona, mesmo sem originalidade.E esse sempre foi o forte de Cameron, fazer com que história já contadas PAREÇAM novas.Isso é um dom que todo o diretor gostaria de ter.

O romance proíbido entre o homem e a princesa dos Na'vi lembra muitohistórias velhas como Pocahontas ou o já consagrado Titanic.Mas ninguém lembra disso, nem antes, nem depois da película

Por esses três fatores, dou nota 10 ao filme.Ele não é o melhor de todos, mas, daqui a 20 anos, será o primeiro de todos.

Continue lendo >>

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Invasão Secreta - Arquivo 05




A Invasão Secreta chegou ao fim e você sabe disso, mas o que poucos sabem é que enquanto os terráqueos enfrentavam a ameaça da Invasão, os Inumanos tiveram de enfrentar os alienígenas verdes na Lua e ainda siar pelo espaço em busca de Raio Negro, que foi capturado e substítuido por um transmorfo, como foi visto no início da saga.

Logo nos primeiros capítulos o autor Joe Pokaski nos mostra o que está acontecendo com os Inumanos agora que Maximus se tornou o rei de Attilan e também ficamos sabendo onde Raio Negro está.
Os Skrulls invadem a lua e uma luta contra os Inumanos é iniciada, mas a família real é obrigada a deixar sua cidade para viajar pelo espaço em busca de seu verdadeiro Rei, entretanto eles nem imaginam que o plano dos Skrulls é destruir Attilan usando o poder do próprio Raio Negro.

A única forma encontrada por Medusa de concluir seus planos é se aliar a seus inimigos Krees e usar a tecnoligia destes para encontrar seu marido, mas isto tem um preço: Cristalys terá de se casar com Ronan, O Acusador.
Mesmo com as desavenças internas causadas pela imposição dos Krees, a família real parte para diversos locais no Universo em busca dos pontos fracos do sitema de segurança Skrull.

Terminadas as missões, os Inumanos finalmente conseguem encontar a nave onde Raio Negro estava sendo mantido e tudo acaba aparentemente bem, porém, ao retornarem a Attilan, Raio Negro reassume o trono toma medidas drásticas: Ele governará Attilan ao lado de seu irmão Maximus e os Inumanos serão aliados dos Krees para que a partir de então, eles possam deixar de serem apenas vítimas das Guerras e passarem a ser aqueles que lutam por seus ideais.

Um final impressionante que deixa muitas pontas soltas para a próxima saga cósmica da Marvel: "War of Kings" (Guerra de Reis, em tradução livre, sem tradução ainda no Brasil).

Em suma, vale muito a pena ler esta última edição de Invasão Secreta Especial, seja por ser um prelúdio da maior saga cósmica da Marvel dos últimos anos ou por contar uma histórias tão divertida e interessante dos Inumanos, que são excelentes personagens, mas muito mal aproveitados.
O trabalho de Joe Pokaski é realmente elogiável e a arte de Tom Raney é muito boa, com maravilhosa narrativa visual e um design bonito. Aproveitem!

Com isto, chegamos ao definitivo fim de nossa cobertura da saga Invasão Secreta, mas não deixe de continuar acompanhando o blog, porque ano que vem tem muito mais gibis para serem lidos e comentados por aqui.


Esperamos que tenham gostado e boa leitura!

Continue lendo >>

domingo, 20 de dezembro de 2009

Qual o limite da Google?!




Por temos, a "piadinha" dizendo que a Google irá dominar o mundo roda blogs, redes sociais e agora o Twitter. Antes a empresa que se tornou a maior ferramenta de buscar da internet, se solidificava na computação nas nuvens, e ampliava seu domínio, de repente, todos se deram conta, que estavam em uma rede social da google(orkut), fazendo pesquisas pela google, se divertindo com o Google Earth, procurando endereços no Google Maps, enviando emails pelo Gmail, etc.

Não é exagero dizer que a Google dominou grande parte da "vida nas nuvens" dos usuários, mesmo serviços que não são líderes, como o Gmail, que perde em usuários para o Hotmail, a Google se demonstra, quase sempre, a líder de qualidade, tendo seu serviço de email infinitamente superior a da concorrente Microsoft.

Até então, com exceção do Google Earth, a Google dominava apenas aplicativos nas nuvens, mas isso começou a mudar com o lançamento do sistema operacional para celulares, o Adroid. O Sistema não dó fez uma mudança na Google, como foi sucesso e hoje, em sua versão 2.0, é considerado um dos melhores em sua categoria. Mas a Google não tem limites, com o lançamento do Google Chrome, a empresa já tem mais de 5% do mercado de navegadores de internet, e seu sistema operacional Google Chrome OS, promete inovar.

Para quem já estava conformado com a teoria de dominação da Google, mais um passo foi tomado, depois de muitos rumores, está confirmado, a empresa irá lançar seu aparelho Celular, que deverá se chamar Nexus One. Segundo informações Engadget, o celular se parece com um iphone(veja as imagens abaixo) e terá uma versão remodelada do Android, em sua versão 2.1. Além disso o celular teria todas as disposições de smartphone, expansão MicroSD, Bluetooth 2.1, Wi-fi, uma poderosa câmera de 5 Megapixels e tecnologia 3G. O celular deverá ser comercializado já no começo do ano que vem, sem previsões de preço.



E que venha a dominação global...

Continue lendo >>

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Retrospectiva 2009: Fotografias do Novo Mundo



O ano de 2009 está acabando e já podemos dizer que muito aconteceu nesses últimos doze meses.Um negro assumiu a casa branca, uma nova pandemia surgiu no mundo, uma lenda da música morreu e se comemorou os vintes anos da queda de um muro. E para nos lembrar das tragédias e acontecimentos desse ano, o site The Big Picture publicou uma série de três partes, mostrando as fotos que retratam o quê foi esse ano de 2009.



Clique aqui e aproveite estas embasbacantes imagens.

Continue lendo >>

sábado, 12 de dezembro de 2009

Carlos Zéfiro - Os bons tempos


Sacanagem sempre foi um negócio muito rentável, não importa a mídia da qual se fala. Nos quadrinhos não é diferente.
Hoje em dia vemos nas livrarias inúmeros álbuns de HQs com temática erótica, como os clássicos de Milo Manara ou as histórias de Giovanna Casotto, publicados no Brasil pela Conrad.

Entretanto, o quadrnho europeu é visto, tanto aqui quanto no Velho Continente, como arte e assim é tratado.
Brasileiros nunca deram muita bola pros gibis, "coisa de criança" é só a maneira mais famosa de denegrir a imagem da arte sequencial, mesmo em tempos onde brasileiros ganham Eisners e publicam muitas coisas lá fora.

Com este caráter típíco não era de se esperar que um autor de quadrinhos eróticos sobrevivesse nas bancas do Brasil, mas um homem tentou e, mesmo que não tenha conseguido, foi eternizado por seus trabalhos.

Em plena ditadura militar, um tal Carlos Zéfiro apareceu nas bancas com seus famosos "catecismos" (que tinham esse nome por serem vendidas dentro de revistas religiosas). Revistas que cabiam no bolso e passavam de mão em mão entre os adolescentes da época, ensinando a sacanagem aos jovens onanistas daquele tempo.


O enigmatico Zéfiro teve suas atividades começadas nos anos 50, já na clandestinidade e tudo só piorou com o golpe de 64, mas lá estava o educador do Sexo, com seus quadrinhos safados e de qualidade duvidosa, já que erros de português eram frequentes e seus desenhos não eram obras-primas, mas isto era o de menos, porque o que interessava no trabalho de Zéfiro era a sacanagem.

Já foi chamado de Nelson Rodrigues dos quadrinhos justamente por colocar a sensualidade em situações corriqueiras e por sempre privilegiar a mulher. Em suas histórias as moças é que mandavam, elas eram o centro das atenções, assim como na obra de Rodrigues.
Empregadas, professoras, donas de casa, secretárias, e todas as mulheres foram retratadas em sua obra, mas o Sexo era o personagem principal. Sacanagem sempre foi algo rentável...

É óbvio que sua obra nunca foi preservada, já que raramente eram guardadas por seus compradores e também devido ao fato de não terem uma editora ou uma data de publicação, tudo com o intento de despistar os censores da época.

Em 1991 o editor da "Playboy" Juca Kfouri desvendou o mistério: Carlos Zéfiro era na verdade um funcionário do Depertamento de Imigração, o carioca Alcides Caminha. Um homem modesto e humilde que só se "revelou" devido a pressão de seus filhos. Foi um negócio interessante pra ele, já que pode vender originais e arrecadar algum dinheiro, mas não durou muito, já que o nobre professor deixou este mundo em 5 de julho de 1992, menos de um ano após ter sua indentidade revelada.

Mesmo em seus quinze minutos de fama, Alcides se mostrou humilde e disse ao ser perguntado se tinha consciência de que fazia parte da história cultural do país:

"não ligo muito para isso, não. Com sinceridade. Afinal é muita honra para um pobre marquês. Acho tudo na vida muito efêmero. Hoje se está no apogeu, amanhã no ostracismo e acabou"

Hoje, Alcides "Zéfiro" Caminha é exaltado, tendo alguns de seus catecismos(estima-se que existiram mais de 600) em livrarias e seu nome lembrado por muitos. Alcides também foi co-compositor de algumas músicas ao lado de Nelson Cavaquinho, como "Notícia" e "A flor e o espinho".

Leia a entrevista que ele concedeu a revista Semanário nº 186 de Fevereiro de 1992 e entenda um pouco mais sobre a trajetória do quadrinhista. (A página também contém outras informações e um pequeno acervo com obras de Zéfiro)

Seu lagado está em diversos lugares. Além de, lógico, quadrinhos eróticos beberem de Zéfiro, Marisa Monte usou a arte do mestre na capa de seu álbum “Barulhinho Bom”, de 1997 e a MTV já criou uma vinheta totalmente inspirada nos catescismos. Enfim, a sem-vergonhice de Carlos Zéfiro deixou marcas na cultura nacional.

Alcides deve ser eternamente lembrado pelos bons tempos de Carlos Zéfiro e suas obras são sim parte da cultura deste país, mas que seus quadrinhos jamais alcancem status de arte, porque a arte é feita pra se mostrar e sacanegem é feita pra se esconder.

Fontes:

- Black Zombie
- Blodega
- http://www.carloszefiro.com.br/

Continue lendo >>

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

O que você vai procurar hoje na Google?!

A Google: Zeitgeist 2009 é um senso da própria empresa que trás o que os internautas mais acessam no buscador mais acessado do mundo, e que no Brasil não só é líder, como trás em si quase um monopólio, conseguindo nada menos que quase 98% do mercado.

O que mais foi observado no senso é a comprovação de uma certa acomodação brasileira na internet, que apesar da crise econômica, gripe suína, etc, não mudou muito seus hábitos, e não demonstrou muitas surpresas, a própria pesquisa mostra um comparativo, entre as palavras chave relacionadas a futebol e as relacionada a gripe suína, o futebol é claro...ganha de lavada(veja abaixo).


Os mais procurados por sua vez, foram os já frequentes, orkut, youtube e hotmail, tendo o site de downloads Baixaki em quarto, como grande surpresa. Já na parte de emergência, Twitter, Enem e Lady Gaga estão entre os mais procurados. Veja a lista completa em outras diversas categorias clicando aqui.

Continue lendo >>

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Invasão Secreta - Arquivo 04

Como foi visto, terminamos as análises de todas as edições de Invasão Secreta, porém as duas últimas edições especiais do evento nos dão alguns detalhes sobre acontecimentos de antes, durante e depois da Guerra contra os aliens.



Vejamos a revista número 4 que mostra a participação de Deadpool durante a saga.

O folhetim só é indispensável para os fãs do mercenário, já que acrescenta pouca coisa em relação a história como um todo. Gostando ou não, rende boas risadas.

A HQ começa com o Mutante tagarela impedindo que os Ets causem destruição em um jogo de beisebol, entretanto ao fim da primeira parte, vemos que nosso povo tem um traidor em suas fileiras.

A bordo da belonave, nosso amigo sociopata demontra ter outros planos e passa a partir daqui a atormentar o cientista responsável da nave, que busca uma forma de copiar os poderes de cura de nosso herói. Não demora muito para que os experimentos comecem a dar errado (obviamente, erros propositais cometidos pelo intrépido protagonista).

Ao descobrir a traição do falsário terrestre, um Superskrull vai ao encalço do matador falastrão e o enfrenta em diversos embates até que finalmente o monstro e o exército de cópias de nosso assassino preferido é destruido.

Ao fim, temos surpresas interessantes, descobrindo que o corajoso anti-herói estava trabalhando para Nick Fury e nunca traiu realmente seus companheiros da Terra. Além disso, também vemos que a missão do destemido soldado não foi cumprida, já que outra pessoas obteve êxito na procura de uma forma de derotar os invasores.

Enfim, um amontoado de folhas dispensáveis, porém muito divertidas. Vale a pena!


PS: Em homenagem ao mercenário mais tagarela da marvel este post não contém nenhuma palavra repetida.(exceto preposições)

Continue lendo >>

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Cartucho foi um sucesso!



Um dos maiores (senão o maior) festival de cartunismo do RS, que ocorre em Santa Maria, o Cartucho, ocorreu nessa sexta, sábado e domingo, e foi um sucesso!

O homenageado desta edição foi Luís Fernando Veríssimo, escritor e cartunista renomado, E UM DOS MEUS MAIORES ÍDOLOS.

Na sexta, tivemos um discurso de abertura, com Veríssimo, o prefeito Cézar Schirmmer e com os cartunistas que idealizaram o evento.

No sábado e no domingo, os cartunistas e Veríssimo interagiuram com o público no famoso Calçadão de Santa Maria.Houve chimarrão, desenho ao ar livre e oficinas para crianças.

Rapaz, podem falar o que for, mas eu tenho um baita orgulha de cidade em que moro.Apesar de pequena, o polo cultural daqui é enorme, devido a universidade.Quem conhece SM sabe do que eu estou falando.

Aliás, mordam-se de inveja, EU TENHO UM AUTÓGRAFO DO VERÍSSIMO!!!!!!!!!!!!!!!!!

Continue lendo >>

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Google Wave: Nós testamos!



Em Maio desse ano, em uma de suas conferências, a Google plantou uma de suas maiores bombas atômicas, o Google Wave. Após meses de grande expectativa, o Radioativo conseguiu um convite para testar a versão Google Wave Preview, e vamos para uma rápida crítica.

O que é o Google Wave?

A
Antes de tudo, temos que entender o que é essa tal "grande revolução" da Google, o "Google Wave" nada mais é que, segundo os engenheiros da Google, o que seria um serviço de email atual, basicamente você cria uma conta, e adiciona contatos, e vai criando suas Waves(ondas), que podem conter gadgets e diversos aplicativos, e você poderá anexar diversos contatos a essa Wave. Os planos da google são de justamente "organizar" a internet, visto que a proposta é que grandes redes e sites(como Facebook, twitter, youtube, etc.) criem seus gadgets, e assim o usuário do Google Wave gerenciaria cada conta na Wave indicada. Por exemplos, criar várias waves, cada uma para cada um dos sites que você visitaria diariamente, isso organizaria tudo em apenas uma página, a do Google Wave.

Google Wave Preview

O Google Wave ainda caminha com passos curtos, na sua versão preview, a qual tivemos acesso, foram notados pontos fortes e fracos. Os principais pontos fortes são o visual bem amigável, e a proposta da empresa sendo moldada com êxito, outro ponto positivo são os videos explicativos sobre como criar as "waves" e usar os aplicativos e gadgets .

Já os fracos ainda são justamente a falta de material para fazer suas "waves", já que o número de gadgets são mínimos, e poucos são realmente funcionais, outro ponto fraco é que o Google Wave ainda é deserto, ou seja, não é possível trocar mensagens com quase nenhum contato. Um dos pontos que talvez tenham nos incomodado um pouco, é a dificuldade de acessibilidade em alguns pontos do sistema, o que pode fazer com que o usuário comum se perca facilmente em suas "waves".

E agora?

Temos sempre que lembrar que é uma versão Preview, com a chegada de novos gadgets, e o povoamento da rede trará bastante diversão e acessibilidade para seus usuários, se tornando uma grande revolução na internet. O grande obstáculo do Google Wave ainda é se tornar menos complexo para atingir as massas, no seu modelo atual, dificilmente se tornará popular, principalmente devido a dificuldade do usuário comum de se organizar na internet.



Continue lendo >>

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

A mídia pode mudar as pessoas?


Já falamos sobre a influência da mídia dentro da Cultura Pop aqui no Radioativo, afinal essa cultura é definida e disseminada pelos veiculos de comunicação em massa.

Entretanto, em alguns casos a mídia corrompe os artistas, que querem apenas mostrar seu talento ao mundo (ou nem isso), mas terminam como mera diversão temporária e passageira.

Vejamos o caso da "melhor cantora de todos os tempos até encontrarem a próxima": Lady Gaga.

Quando ela ainda era Stefani Germanotta, participou de um show de talentos da Universidade de Nova York em 2005, com duas composições. Confiram o vídeo logo abaixo:



Como ela passou disso para um "po-po-poker face" menstruando pelos peitos acho que ninguém sabe e não podemos dizer que sua músicas atuais são ruins, pois isto é extremamente subjetivo, mas é inegável o fato de que ela é uma estrela fabricada pela mídia, que mudou muito de seu estilo em busca do sucesso.

Também não podemos caracterizar a Mídia com M maiúsculo, como se esta fosse uma entidade maligna que corrompe artistas em benefício próprio, porque isso soa obviamente irreal, mas a mídia tem poder e isto não podemos negar.

Poder de transformar artistas e telespectadores. A cultura é Popular, mas não deveria se reduzir a um simples comercio que se molda através das leis de oferta e demanda.

O vídeo foi retirado do Sedentário & Hiperativo

Veja também:

- Internet: O novo caminho da notícia!
- Como a mídia destruiu o Grunge
- Alienados e Massificados

Continue lendo >>

domingo, 22 de novembro de 2009

E agora Fanboys?

(Meninas na fila da Comic Con)


Houve um tempo que todo sinônimo de adaptações de livros de ficção, envolvendo magias, contos, lendas, épicos, eram destinados a um público mais nerd. Tendo como exemplos no passado, Star Wars(triologia antiga) e Star Trek, que tanto firmaram a cultura de conferências, de trakkers, e de "malucos" vestidos de seus personagens favoritos. Nesse novo milênio, isso também se esteve presente com Matrix, a segunda triologia de Star Wars, e claro com o épico "Senhor dos Anéis", para os mais empolgados, não bastava só ter um caderno da sua paixão, ou apenas ir no cinema da estréia, aprender a falar em runas(Senhor dos Anéis) ou em Klingon(Star Trek) era o ápice.

Porém nos últimos anos, gêneros parecidos, abordados de outra perspectiva vêm atraindo outro público, e mantendo a comunidade nerd mais afastada. Por muitas vezes a questão levantada pode ser, por exemplo, porque Harry Potter, uma saga com bruxos, magias, elfos, e elementos épicos, atrai mais o público adolescente em geral, e afasta um pouco o público nerd. Justamente a questão do ponto de vista, Harry Potter, por exemplo, foca muito mais na amizade e amor, nos conflitos de adolescente, do que na própria magia. O maior exemplo disso é quando no filme 3, há um grande dilema temporal quando Harry volta ao passado, sendo que tal dilema não tem o mínimo foco, e muito menos explicação plausível.

Outra grande mudança foi no último Comic Con, a maior conferência de quadrinhos do mundo, foi invadida por fãs insaciáveis, e nos corredores não haviam mais nerds, e sim fãs malucas, gritando. O que resultou em até uma situação engraçada, o escritor e diretor Kevin Smtih deu sua opinião(Veja o vídeo legendado abaixo)




A saga Twilight apresenta o mesmo problema visto em harry potter, só que em proporções maiores, o livro/filme está muito mais preocupado na sexualidade, amor, triângulos amorosos, dramas e vampiros brilhosos, do que justamente na mitologia por trás de tudo isso. Fazendo com que meninas se encantem com o maravilhoso Edward, e tornando-se um clichê interminável, sendo que coisas inexplicáveis como, 'porque no primeiro filme eles fugiram, sendo que eram 5 vampiros contra 1?' Acabam ficando para trás.


Ambas as séries citadas podem ser consideradas regulares, sendo filmes legais de assistir em um final de noite, mas não trazem nenhum conteúdo relevante para os que esperam grandes mitologias e épicos. O cinema encontrou um grande pote de ouro nesse novo público, e a tendência, principalmente com os números obsurdamente grandes do final de semana de estréia de Lua nova(sendo a 3ª melhor da história, com 140 milhões de dólares só nos EUA(Vale lembrar que o orçamento do filme ficou em torno de apenas 50 milhões)), é que esses filmes ganhem força, e sejam cada vez mais produzidos.

Continue lendo >>

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Invasão Secreta - O ínicio do fim

Antes de mais nada, você provavelmente está estranhando o fato de termos simplesmente pulado a edição número 07 da mini-série em nossas análises e chegado diretamente ao número 08. Isto ocorreu não por falta de tempo ou de vontade dos redatores deste humilde blog, mas porque a edição 07 pode ser facilmente ignorada por quem esta acompanhando a saga e foi isto que fizemos. Acredite, você pode querer a coleção completa, mas absolutamente nada acontece na edição 07.



Chegando então a edição final da mini-série que redefiniu mais uma vezes o status quo do Universo Marvel, nos deparamos com três fatos bem complexos, mas que infelizmente não foram bem trabalhados ao longo desta saga.

Primeiro vemos o fim do confronto entre a resistência terrestre e os Skrulls, com um desfecho que deixou alguns fãs irritados: Norman Osborn saindo como o grande herói da humanidade!
Em meio a esta luta, de forma bem simplista Tony Stark encontra os heróis que haviam sido sequestrados e substituidos pelos aliens. Simples assim.
Em seguida, já no fim da edição principal, temos contato com algumas das consequências decorrentes do estrelato de Osborn e também vislumbramos seu novo status dentro do Universo Marvel.

Continuando a leitura, temos o final de Linha de Frente, que terminou como começou: mediana. O esforço do roteirista Brian Reed em mostrar um pouco mais do lado psicológico de Ben Urich é visível e ele alcança seu objetivo, mas de forma um tanto brusca, já que isto havia passado despercebido nas outras edições da série.
Enfim, as duas histórias acabam se interligaando e Ben Urich comparece a entrevista coletiva de Norman Osborn. No final, este foi a apenas o começo da próxima saga da editora a ser publicada aqui: "Reinado Sombrio".


Finalmente, podemos analisar a série como um todo e dizer com a boca cheia que já existiram melhores. A idéia por trás de Invasão Secreta foi realmente muito boa, mas a forma como foi trabalhada deixou a desejar, com uma dependência incrivel de tie-ins e um final bem falho.

Quem acompanhou a saga até aqui (inclusive pelos nossos reviews), pode ver que a cada edição o ânimo foi diminuindo, mas chegamos ao final e sobrevivemos a invasão alienígena. Em breve, publicaremos os reviews dos dois especiais que faltam para o encerramento de algumas pontas soltas. Até lá!

Nas bancas:

- Invasão Secreta 7 - (mini-série em 8 partes, formato americano, 52 páginas, R$6,50) - Explode a batalha final nas ruas de Manhattan! De um lado, as forças da Terra, compostas pelos Vingadores, Thunderbolts e pela supermáfia do Capuz; do outro, a rainha Veranke e o aparentemente imbatível exército de superskrulls! Em jogo, o destino do planeta! Por Brian M. Bendis e Lenil Yu.

- Invasão Secreta 7 - (mini-série em 8 partes, formato americano, 60 páginas, R$7,00) - Na hora de maior necessidade da espécie humana, surge um novo herói. A conclusão do maior evento Marvel do ano dá à luz uma nova ordem mundial, numa edição que entrará para a história da Casa das Ideias como um ponto de ruptura no status quo da comunidade super-humana. Roteiro de Brian M. Bendis e Arte de Lenil Yu.

Continue lendo >>

Brazilians are not stupid!

Passeando pelos arquivos do Não Salvo encontrei dois vídeos antigos, porém interessantes que merecem ser vistos pelos leitores do Radioativo.

Segue abaixo as parte 1,2 e 3:









Existem outros vídeos do gênero no canal do YouTube, mas acho que deu pra entender qual é o objetivo dessas série de vídeos intitulados "Brazilians are not stupid":

Mostrar que o brasileiro, em média, não tem conhecimentos básicos sobre o mundo e sobre si mesmo; coisas que ele deveria saber desde muito jovem e carregar pra vida toda. É espantoso o número de jovens estudantes que aparecem no vídeo, alguns ainda em idade escolar.

Enfim, cada um julga os vídeos como quiser, mas Pense Nisso!

PS: Não desanime por completo, veja o vídeo daqueles que acertaram algumas perguntas!

Continue lendo >>

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Dançando U2 contra o aquecimento global



Todos já devem estar sabendo que entre os dias 7 e 18 de dezembro de 2009 vai acontecer em Copenhague, capital da Dinamarca, o COP-15, que será um encontre entre diversos chefes de Estado no intuito de criar o documento que substituirá o protocolo de Quioto (com vigência até 2012), inclusive o Brasil divulgou a pouco tempo as metas que levará para este encontro.

Entretanto este não é motivo principal desta postagem, mas sim a reunião de mais de 10 mil pessoas organizada por uma ONG Belga, que será realizada no próximo dia 26(sábado) na praia de Oostende, norte da Bélgica, onde as pessoas dançaram ao som de "Magnificent", do U2, na gravação de um clipe.

Dirigido por Nic Balthazar, a vídeo-manifestação pretende pressionar os líderes mundiais para "...reduzir drasticamente as emissões de gás carbônico na atmosfera..." segundo a Coalizão Climat.
Os direitos da música foram cedidos pela banda em benefício da gravação do clipe e a ONG pretende exibir a coreografia em todo o mundo antes da Conferência em Copenhague. Veja o vídeo com a reportagem da Reuters sobre o evento.


*Este post está perticipando do concurso cultural Riot.
Link para matéria original: http://verde.br.msn.com/videos.aspx?cp-documentid=9f5de533-a549-426e-acf2-168c07e70968

Continue lendo >>

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

As turmas de Mauricio: Os personagens esquecidos



Nesta coluna especial, já conhecemos quase todos os personagens criados por Mauricio de Sousa, mas ao longo de sua carreira, alguns personagens acabaram ficando "esquecidos", por um motivo ou outro deixaram de ter suas tiras e/ou histórias publicadas. Agora você confere uma lista com alguns desses personagens.


Nico Demo: Com certeza o mais famosos dentre os personagens mais antigos de Mauricio. Nico Demo é retratado como um garoto de boas intenções, sempre tentando ajudar, mas suas ajudas sempre acabam em desatres, deixando uma dúvida no ar: Será que ele não queria mesmo aprontar?
Seu cabelo loiro em forma de chifre só colabora para sua má reputação.
Foi publicado inicialmente no Jornal da Tarde em São Paulo, mas sofreu censura devido ao seu humor negro, passou para o Jornal da Manhã, mas também houve reclamações. Mauricio recusou a proposta de suavizar o humor nas tiras de Nico Demo e personagem foi pro Limbo.

Os dez ajustados: Esta foi uma tira de Jornal publicada no "Correio Paulistano" que contava a história de uma família de dez integrantes, que moravam em um cortiço na Rua Augusta (uma das mais conhecidas de São Paulo) e em sua histórias enfrentavam problemas bem comuns, mas cada um dos dez familiares se posicionava de modo diferente em relação aos problemas enfrentados. Acabaram por se perder no tempo.

Niquinho: O próprio Maurício o descreve como o perfeito oposto de Nico Demo, um garoto bonzinho e sempre com reais boas intenções, mas que acabava se dando mal, sempre apnhando da vida. Não foi eternamente pro limbo, porque ainda aparece esporadicamente, mas com pouquíssima frequência.

Os Sousa: Também foi uma publicação exclusiva das tiras de jornal, durante os anos 70. Contava a história de um casal de classe média enfrentando problemas cotidianos. Sousa trabalha em um escritório e seu irmão Mano, mora com o casal. Parece que as tiras mais intimistas de Mauricio foram todas esquecidas no decorrer do tempo e esta foi mais uma.

Zé Munheca: Este personagem era um homem extremamente miserável e avarento. Teve poucas histórias publicadas, geralmente mudas (característica marcante, que foge do padrão de histórias de Mauricio de Sousa).
Mauricio declarou que o personagem foi abandonado por que ele não gostava de suas tirinhas, não combinava com o personagem.


Em uma de suas crônicas, Mauricio de Sousa disse ter criado mais de 200 personagens, incluindo os mais famosos, os comemorativos e estes que aqui estão.
Procurei buscar personagens esquecidos dos estilos mais diversos e fazer uma lista bem heterogênea para que todos pudessem conhecer melhor a obra de Mauricio de Sousa e todo o seu talento.

Entre outros personagens importantes estão:
-Zé Palito, Mingão, Boa Bola, Bernardão, Teveluizão, Garotão e muitos outros.

Para Conhecer melhor:

Para ver alguns destes personagens em ação, o especial "Turma da Mônica em Lostinho- Perdidinhos nos quadrinhos" tem a participação de alguns deles, principalmente dos Dez ajustados.

(Edição Especial - Panini Comics - 80pgs, R$ 6,50)

Continue lendo >>

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Kick-Ass fazendo seu trabalho literalmente

Com a estréia prevista para Abril de 2010, o filme Kick-Ass iniciou sua divulgação recentemente e já chegou (com perdão do óbvio trocadilho) chutando bundas!

A única coisa que podemos fazer é mostrar as fotos, o pequeno teaser e dizer que, em se tratando de adaptações de HQs, Kick-Ass é a melhor aposta para 2010.





































Kick-Ass

Trailer Park | MySpace Video


Kick-Ass é baseado na HQ de Mark Millar e John Romita Jr. que conta a história de Dave Lizewski, um jovem estudante americano que leva seu interesse por Histórias em Quadrinhos ao extremo quando resolve se tornar um Super-Herói. Nos EUA, a revista é lançada pelo selo Icon da Marvel Comics.

Fonte: Omelete

Continue lendo >>

sábado, 7 de novembro de 2009

Anna Faris estará no filme do Zé Colmeia.


Vocês sabiam que vai ter filme do Zé Colmeia?Nem eu!


Pois bem, agora vai uma notíciazinha curta, a gostos...atriz Ana Faris (pros que não sabem, a que está na foto principal do post) estará no elenco!

Eu gostaria muito de um filme do Zé Colmeia, afinal, qualquer coisa que redima a Hanna Babera do escrotíssimo "Scooby-Doo" é válida.

Além disso, o ex-caça fantasmas (sou fã desses caras) Dan Aykrod, fará a dublagem do ladrão de cestas de piquenique mais conhecida da história.

É...terminou!Tô cansado pacas pra filosofar sobre isso então...vocês vão ter que me engolir (e outras coisas também!) :P

ps.Se querem fotos eróticas da moça vão a outros sites seus mechedores de manivelas orgânicas malditos!



Continue lendo >>

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Quadrinhos Digitais - A solução para o problema?


Com a internet, quase todos os meios foram afetados, assim como a música sofre com os MP3, os quadrinhos tem sofrido muito com os SCANS, que são Hqs digitalizadas por fãs e disponibilizadas gratuitamente pela internet. Tentar conter a internet já se demonstrou uma tática totalmente ineficiente, já que é impossível obrigar a deletar e encontrar todos os sites e blogs que disponibilizam esse serviço.

O fato é que SCANS são sim algo ilegal, roubar a obra de um autor, sem nenhum tipo de pagamento, mas a MARVEL e DC, entre outras editoras, vem aos poucos tentando legalizar os SCANS, ambas estão investindo em catálogos online, cujo o assinante precisa pagar para ter acesso ao conteúdo(ou em outros casos, existem quadrinhos de visualização gratuita), usando estratégias diferentes, a DC está lançando séries exclusivas e inéditas pela internet, ja a Marvel investe em um acervo de mais de 2500 Hqs de revistas novas e principalmente as antigas e os clássicos. Já a Dark Horse tem investido em uma série de quadrinhos via Myspace. A Marvel também acaba de anunciar quadrinhos inéditos que poderão ser comprados por iPhones e Ipod Touchs, o que é outra iniciativa.

A solução?

Existem muitos meios de levar os Scans para legalidade, mas assim como na música, sempre dependeremos da honestidade de cada um, pois mesmo que os Scans legais estejam lá, prontos para ser comprados, sempre haverá o modo mais fácil e barato, os ilegais.
Basta colocar na balança, o quanto vale sua honestidade.

Pessoalmente, não vou trocar a HQ de papel ;)

Continue lendo >>

domingo, 1 de novembro de 2009

"Dodgem Logic": O Fanzine de Alan Moore




Você acompnhou aqui no Radiotivo a biografia do mago Alan Moore e viu que seus primeiros trabalhos com HQs foram com fanzines.

Voltando a suas origens, o mago barbudo lança em Novembro seu novo fanzine, com direito a papel de baixa qualidade, impressão ruim, baixa tiragem e distribuição local (pela editora Knockabout). Com o nome de Dodgem Logic, o release da revista diz:



Linda e barata como uma prostituta adolescente, Dodgem Logic tem o preço de capa de £2,50 [R$ 7], e seu conteúdo é similarmente adequado ao atoleiro fiscal no qual estamos todos afundando. Colunistas regulares dão receitas deliciosas e de preço módico, conselhos médicos gerais, instruções simples para criar roupas e acessórios estilosos quase do nada, guias para cultivar seu próprio jantar sendo um jardineiro de guerrilha e, na primeira coluna sobre o meio ambiente de Dave Hamilton (The Self-Sufficient-ish Bible), a corajosa experiência de viver sem dinheiro.

Esta mesma abordagem de auxílio aos leitores que tem que lidar com o cataclisma sócio-econômico também estará em matérias vindouras sobre o ressurgimento do movimento dos squatters e nas cartas do povo steampunk/pós-civilização sobre a reconstrução da nossa cultura e sociedade antes que elas se percam por completo e nossos filhos se resumam a esmurrar-se com seus X-Boxes inutilizados numa disputa pelo último pacote de miojo.


Dá pra perceber que com este projeto, Moore não pretende apenas escrever quadrinhos e falar sobre sua amada cidade natal, mas sim romper alguns conceitos qua acabaram por se enraizar dentro da indústria de HQs e, de quebra, opinar sobre política, religião e todo e qualquer assunto que vier a mente de seus colaboradores.
Falando em colaboradores, o time da revista não podeira ter sido melhor selecionado, incluindo figuras como: Kevin O’Neill, Graham Lineham, Melinda Gebbie, Josie Long, Aylett Steve, Dave Hamilton e Leah Moore.

De brinde com a primeira edição, será distribuído um CD com músicas obscuras, produzidas em Northampton e executadas apenas nos recontidos mais obscuros daquela cidade.

A primeira edição trará além dos quadrinhos, textos sobre a cidade inglesa, um texto de Melinda Gebbie sobre a falência do feminismo, entre outras coisas. O plano de Moore e seus companheiros, não é parar por aqui, eles pretendem tranformar o Fanzine em uma verdadeira fonte de informação alternativa/underground e ainda querem incentivar a produção de revistas semelhantes em outras cidades da Inglaterra.

Em estrevista a revista Mustard (clique para ler em inglês), Moore não só revelou todos estes detalhes, como ainda deu dicas sobre o o conteúdo da edição 2:
Algo (não se sabe se texto, quadrinhos, ou qualquer outra coisa) produzida pelos integrantes da banda Gorillaz, em troca de uma ópera, que Moore irá escrever para a banda, além da capa e uma matéria com temática burlesca.

A revista também divulgou algumas páginas da edição 1, que você vê logo abaixo.

A nós, resta torcer por uma edição digital (seja pirata ou não), já que o fanzine obviamente não terá distribuição internacional, mas os fãs de Alan Moore de fora de Northampton também merecem ler esta revista, que promete muito!




Via NSN

Continue lendo >>

Invasão Secreta - Arquivo 03





Ao ler a edição número 3 de "Invasão Secreta Especial" e compará-la com as edições 1 e 2, fica claro que este é o pior número entre os especiais até agora. Trabalha com personagens interessantes que já não dão as caras por aqui a algum tempo, revela um ou outro detalhe da trama como um todo, mas no geral ainda não é muito boa. Vamos a história:

Podemos dizer que a história trata de coincidências. Todos sabem que tanto os Fugitivos como o Jovens Vingadores tem Skrulls em sua equipe e durante a Invasão Secreta isso pode ser um problema.

Coincidentemente, os dois grupos estavam perto de Manhattan quando a invasão começou(como visto na edção 2 da mini principal) e os jovens heróis foram tentar ajudar, com excessão de Xavin, membro Skrull dos Fugitivos que aparentemente passa para o lado de sua raça.
Por pura coincidência os dois grupos acabam se encontrando e Xavin mostra que não estava fugindo e nem se aliando aos Skrulls, mas sim tentando salvar Teddy, o Skrull que integra os Jovens Vingadores, o qual Xavin acredita ser o salvador do Império Skrull.

Enquanto Teddy e Xavin fogem dos Skrulls pelos subterrâneos da cidade, os outros integrantes do grupo trabalham para impedir qua a Guerra nas ruas continue e aqui nos é revelado que, coincidentemente, um dos líderes da armada Skrull que está atacando é o ex-mestre de Xavin, um religioso extremista que não acredita que Teddy(Dorreck VII) seja a salvação do império, saindo a caça dos dois heróis.

O final da história é bem previsível e deu pra perceber que o roteiro é bem clichê, sem atrativos, a arte também seria melhor se o desenhista escolhido fosse melhor que o mediano Takeshi Miyazawa, muito influenciado pelo mangá.
Vale a pena, por dissertar um pouco mais sobre a ideologia dos alienígenas invasores, algo que ficou bem vago na mini normal, além de mostrar um pouco sobre o passado do Xavin.

Completa a revista um conto dos Novos Guerreiros que só é bom para quem já gosta e acompanha o grupo, caso contrário, nem mesmo se dê ao trabalho de ler a história, já que esta faz parte do título de linha dos Novos Guerreiros e acaba fora de contexo neste especial.

Portanto, a edição é válida apenas para quem quer acompanhar a mega-saga e todos os seus tie-ins ou para os fãs dos personagens, que mereciam algo melhor.

Continue lendo >>

sábado, 31 de outubro de 2009

Desobvialize...!

Ótima campanha:



Porque o Radioativo apoia quem não faz o óbvio ;D

Continue lendo >>

Ainda precisamos de Pão e Circo?


Certa vez, um gênio disse:

"Brasileiro tem complexo de vira-lata".

Nada errado.Ao ouvir certas músicas, percebemos que poucas coisas em outros países nos superam."Panis et Circenses", principal música dos Mutantes, é um exemplo claro disso.

Geralmente nós aqui do blog escrevemos mais sobre as bandas, damos uma biografia, listamos a discografia e, no fim, levamos vocês leitores a conhecerem sozinhos esses conjuntos.

Esse post será diferente, vou falar de um MÚSICA.

Panis et Circenses, que, traduzido do latim vira "Pão e Circo", tática do império romano para agradar os seus súditos, é o maior clássico de uma das maiores bandas do Brasil."Os mutantes", conjunto formado, originalmente por:Sérgio Dias, Arnaldo Baptista e Rita Lee (três monstros sagrados de nossa música) gravaram este clássico no álbum que leva o nome da banda.Ela foi escrita pelos fundadores do movimento tropical, Caetano Veloso e Gilberto Gil.

A sátira presente na música é fantástica.Usar a técnica romana relacionando-a com a família brasileira do início da ditadura militar, bem comportada e submissa, usando a célebre frase: "as
pessoas na sala de jantar".
Óbvio que, falando assim, parece que o mérito todo da genialidade desta obra prima foi de Veloso e Gil, mas a parte instrumental faz com que toda a mensagem soe disfarçada, dando a ela uma sutileza ímpar, o que torna "Panis et Circenses" não só um hino anti-ditadura, mas também uma música dançável (!!) e extremamente agradável aos ouvidos.Sem falar, é claro, nas distorções e pausa que tornaram esta faixa uma das precursoras do movimento psicodélico.

Hoje, os mutantes ainda existem.Recentemente fizeram apresentações em Londres, São Paulo e Rio de Janeiro com Zélia Duncan no lugar de Rita Lee.Não tem o mesmo gosto original, mas ainda é bom.

Muitos podem estar se perguntando por que eu fiz um post sobre isso.Simples, se não fosse "Panis et Circenses" provavelmente não haveria rock em nosso país, e a isso, eu sou muito grato.

Veja aqui uma apresentação original da banda em 1969.

Como dizem muitos, para salvar o rock nacional, precisamos de um novo "Panis et Circenses".Concordo.

Continue lendo >>

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Mario voltando as origens?


Neste Natal a Nintendo lançara o jogo The New Super Mario Bros. para o Nintendo Wii. Até aqui nada de mais, entretanto foi divulgado recentemente um trailer do game e depois de assitir comentamos um pouco:



Deu pra ver claramente que o Mario esta voltando a sua origens, não?

É lógico que mesmo lançado games em 3D muito diferentes desse, a Nintendo continuou fazendo alguns bons clássicos do Mario para Nintendo DS, mas a diferença está justamente aí, o primeiro jogo do Mario para Wii em que estão abandonando o estilo adotado desde Mario64 e voltando ao estilo plataforma mais clássico, porém com retoques bonitos e opções multiplayer.

Será melhor assim? Só o tempo dirá, já que com isso dá pra perceber que a aposta é nos jogadores mais nostálgicos, sabendo que a nova geração de gamers gosta mesmo é de gráficos extravagantes e cenários infinitos.

Nos resta desejar sorte ao Mario, para que faça a alegria de muitos jogadores, como já fez um dia!

Continue lendo >>

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Uma voz de 90 anos!



No último domingo, o ator e dublador Orlando Drummond (também conhecido como "Seu Peru") completou 90 anos de idade. Para comemorar esta data especial foram preparadas duas homenagens muito legais.

Uma delas é do Cartoon Network, que preparou uma vinheta especial para o maior dublador do Brasil, com 68 anos de carreira (38 anos dublando o Scooby-Doo); veja abaixo:



Uma homenagem mais que merecida, já que não existe ninguém que nunca tenha ouvido a voz do Senhor Drummond, que tem em seu currículo personagens como: Scooby-Doo, Alf-O ETeimoso, Popeye e muitos outros.

A segunda homenagem foi preparada pelo, também dublador, Guilherme Briggs que divulgou um vídeo no Youtube convidando os fãs do dublador para homenageá-lo com textos, desenhos e afins, você pode conferir o vídeo aqui, mas não deixe de participar!



Via Jacaré Banguela

Continue lendo >>

domingo, 18 de outubro de 2009

O Tempo, O Espaço e o Impossível


Existe uma grande febre ultimente, por paradoxos temporais, viagens no tempo e espaço, e coisas da metafísica e ciência de borda. O assunto não é novidade, e faz o ser-humano se fazer grandes perguntas, sem nem ao mesmo ter certeza que obterá a resposta. Mas todo esse complexo assunto tomou popularidade com séries de Tv e Filmes, como Arquivo X, Fringe, Lost, e agora Flash Foward, no caso dos filmes, como Matrix, Exterminador do Futuro, De Volta para o Futuro, Efeito Borboleta, etc.

Existem muitos paradoxos temporais que levam a um LOOP de conclusões, por exemplo, o mais famoso, o "Paradoxo do Avô", se eu voltasse no tempo, e matasse meu avô, eu nunca existiria, mas se eu nunca existi, como eu poderia voltar no tempo e matar meu avô? Esse loop lógico aparentemente não tem resposta conclusiva, e só pode ser estudado em ciências mais teóricas, como a Ciência de Borda.

Abaixo tem uma lista de alguns do grandes paradoxos temporais, e uma breve explicação:

1) Paradoxo do Avô
Talvez o mais famoso paradoxo temporal. Às vezes chamado de Paradoxo da Avó. Acontece quando um viajante do tempo volta ao passado para matar o seu avô (ou avó) quando ele (ou ela) ainda é uma criança, evitando assim o seu próprio nascimento e, por conseguinte, sua própria viagem ao passado para matar o seu antepassado. De modo geral esse paradoxo ocorre em qualquer mudança da História causada por um viajante do tempo de modo a impedir o próprio viajante de voltar ao passado para causar a mudança. Pode ser considerado um caso especial do Paradoxo da Alteração da História.

2) Paradoxo da Acumulação
Acontece quando um viajante do tempo se transporta de vários pontos de sua linha temporal para o mesmo momento de passado. Haverá várias duplicatas do viajante no ponto de chegada.

3) Paradoxo do Deslocamento em Trânsito
Viajantes do tempo em trânsito levam consigo seu próprio tempo - o presente do modo exato que estava no momento de sua viagem -, e não podem ser afetados por alterações da História ocorridas depois de sua partida. Só sofrerão os efeitos dessas alterações quando voltarem à sua matriz temporal, agora modificada. Esse paradoxo é uma solução para o Paradoxo do Avô (ver item 1 do glossário).

4) Paradoxo da Descontinuidade
Acontece quando um viajante do tempo encontra no passado um conhecido que partiu de um ponto do futuro diferente do dele. Essa pessoa pode não reconhecer o viajante, pois no seu (dela) presente eles ainda não se encontraram. Ou pode acontecer o oposto. O viajante do tempo encontrar no passado alguém que partiu de um futuro à sua frente e que sabe o que vai acontecer com ele nos próximos meses ou mesmo anos.

5) Paradoxo da Duplicação
Acontece quando um viajante do tempo volta ao passado, encontra-se consigo mesmo, e faz alguma coisa que impede sua versão passada de viajar atrás no tempo tal como fez anteriormente, alterando assim sua própria História e criando uma duplicata permanente.

6) Paradoxo Final
Paradoxo criado por um viajante do tempo que muda a História de modo que viagem no tempo nunca seja inventada.

7) Lei dos Paradoxos Menores
Se dois paradoxos mutuamente exclusivos podem ocorrer simultaneamente, acontecerá primeiro o menos paradoxal.

8) Paradoxo da Alteração da História
Acontece quando um viajante do tempo volta ao passado e altera a História. E ele pode voltar no tempo outras vezes e alterar ou reverter a alteração, editando assim a História. (Ver Paradoxo da História Retroativa e Paradoxo do Continuum nos itens 10 e 21 desse glossário).

9) Paradoxo da Propagação
Este paradoxo envolve a velocidade na qual a alteração da História se propaga ao longo do Continuum. Pode ser instantânea, ou seguir uma taxa de propagação arbitrária, ou pode depender de um certo valor de probabilidade de que a alteração seja irreversível.

10) Paradoxo da História Retroativa
Acontece quando pessoas do futuro, que não haviam nascido na época de acontecimentos já ocorridos e historicamente registrados, acabarem revelando-se protagonistas desses mesmos eventos. Esse paradoxo é o outro único paradoxo temporal admitido pelos autores que defendem a idéia do universo em bloco (o primeiro seria o Paradoxo do Continuum, que implica nesse tipo de universo - ver item 21 do glossário).

11) Paradoxo dos Loops de Objetos e Pessoas
Acontece quando um objeto ou pessoa são aprisionados em um loop temporal, como o relógio do filme ‘Em Algum Lugar do Passado’, ou quando a existência da pessoa no futuro depende de ações causadas por ela no passado, como no filme ‘O Exterminador do Futuro’.

12) Paradoxo dos Loops de Informação
Acontece quando uma informação é enviada do futuro para o passado de modo a se tornar a fonte inicial da mesma informação tal como existia no futuro.

13) Paradoxo dos Loops Sexuais
Acontece quando um viajante do tempo volta ao passado para fazer sexo com um ancestral e se tornar um ancestral de si mesmo. Esse paradoxo é biologicamente impossível devido ao Paradoxo Genético (ver item 15 do glossário).

14) Paradoxo dos Loops de Repetição
Acontece quando se viaja no tempo não no sentido tradicional, de transporte físico para um outro momento do passado ou do futuro, mas quando se 'revive' repetidamente um intervalo arbitrário de tempo, como no filme ‘Feitiço do Tempo’. Dois paradoxos estão envolvidos aqui, o loop de repetição em si e o fato de que a pessoa envolvida mantém as memórias após cada volta do loop.

15) Paradoxo Genético
Acontece quando um viajante do tempo tenta se tornar seu próprio pai ou ancestral. Para se tornar seu próprio filho, o viajante terá que obter metade de seus genes de si mesmo e a outra metade da sua mãe. Mas se são a mesma pessoa, têm que ser geneticamente iguais. Portanto, têm que ser ao mesmo tempo geneticamente iguais e geneticamente diferentes, o que é absurdo. Isto acontecerá em algum grau genético em qualquer tentativa de um viajante do tempo se tornar seu próprio ancestral.

16) Paradoxo da Duplicação Cumulativa
Acontece quando um objeto ou pessoa é removido de um certo ponto na linha de tempo, transportado para outro momento e, depois do retorno a um instante imediatamente anterior à primeira remoção, repete-se o processo, transportando-se sempre a pessoa ou o objeto removidos para o mesmo tempo e local. Se essa operação for realizada diversas vezes será criada uma série de duplicatas. Esse paradoxo difere do Paradoxo da Acumulação (ver item 2 do glossário), pois naquele paradoxo há uma linha contínua ligando todas as cópias em sucessivas viagens ao passado e de volta ao presente. Não é possível traçar essa linha no Paradoxo da Duplicação Cumulativa.

17) Paradoxo Metabólico
Acontece quando um viajante do tempo perde sua integridade temporal quando transportado para o passado ou futuro devido ao seu metabolismo, que causa uma constante troca de seus átomos originais por átomos da nova matriz temporal.

18) Paradoxo da Substituição Temporal
Semelhante ao Paradoxo Metabólico, mas com diferentes causas e conseqüências. Acontece quando um viajante do tempo passa um longo intervalo de tempo no passado. Como ele não é parte da matriz temporal do passado, ocorre uma substituição espontânea de todos os seus átomos por átomos do passado, acabando por criar um novo indivíduo com novas memórias. A História muda e a linha temporal original do viajante do tempo desaparece.

19) Paradoxo da Fraude
Acontece quando alguma ação no passado, causada por um viajante do tempo vindo do futuro, afeta a linha do tempo, e depois a versão passada do mesmo viajante decide não realizar a citada ação quando alcança aquele mesmo momento do futuro.

20) Paradoxo Mnemônico
Acontece depois da ocorrência de um Paradoxo de Descontinuidade, um Paradoxo de Alteração da História ou um Paradoxo da Fraude, que envolvam o próprio viajante do tempo, quando ele afeta seu eu passado, embora ainda nao tenha memoria desse evento de seu proprio passado.

21) Paradoxo do Continuum
Também chamado de Paradoxo do Universo em Bloco ou Paradoxo Fatalista, envolve o conceito de que tudo o que aconteceu ou acontecerá já está registrado no Continuum, até mesmo a própria viagem no tempo. Nesse caso, não só o passado não pode ser modificado como, por exemplo, um viajante do tempo que visitasse várias vezes um certo momento ao longo de sua vida, acharia lá todas as suas duplicatas desde a primeira visita. De acordo com esse paradoxo, o passado pode ser afetado, mas não modificado pelos viajantes do tempo (ver Paradoxo da História Retroativa no item 10 desse glossário). Este paradoxo afeta vários outros paradoxos e até mesmo o conceito de livre arbítrio.

22) Paradoxo das Linhas de Tempo Alternativas
A rigor referindo-se a Linhas de Tempo Alternativas Paralelas (ver Obs. 2 abaixo), esse paradoxo se apresenta nas seguintes variações:


22.1) Paradoxo das Linhas de Tempo Alternativas Paralelas Conjunturais Segundo esse paradoxo, o passado não pode ser modificado, e qualquer tentativa de mudá-lo causará a criação de uma Linha de Tempo Alternativa (LTA), de existência paralela à Linha de Tempo Original (LTO) a partir do ponto de mudança. Um problema desse paradoxo é que a rigor a mera chegada do viajante no passado já causaria sua mudança, e portanto o viajante sempre se materializaria numa LTA, antes mesmo de qualquer possível ação no passado, negando na prática a possibilidade de viagem no tempo. Uma variante menos rigorosa desse paradoxo prevê que só se aplicaria em alterações do passado que implicassem no Paradoxo do Avô e assemelhados (ver item 1 do glossário), desse modo solucionando-os.
22.2) Paradoxo das Linhas de Tempo Alternativas Paralelas Estruturais Segundo esse paradoxo, existem permanentemente infinitas LTAs, de duas possíveis estruturas, independentemente da ação de viajantes do tempo:

22.2.1) LTA Macroscópica Segundo esse conceito, existe sempre uma LTA para cada alternativa de alteração macroscópica da LTO.

22.2.2) LTA Quântica Segundo esse conceito, existe sempre uma LTA para cada alternativa de escolha quântica de cada partícula subatômica do universo (conceito de multiverso quântico de Everett).

Obs 1: Segundo esse conceito, a viagem entre LTAs paralelas seria mais uma viagem interdimensional que uma viagem no tempo.
Obs 2: Alguns autores usam a sigla LTAP (paralela) para todos os conceitos de LTA acima descritos, reservando a sigla LTAS (seqüencial) para as sucessivas modificações da LTO em função de mudanças causadas por viajantes do tempo (com cada LTAS passando a ser uma nova e única LTO).
Obs 3: Alguns autores citam como possíveis LTAs paralelas formadas pela combinação de LTAs Macroscópicas com LTAs Quânticas.

Escrito por Eduardo Torres

É de explodir a cabeça!

Os paradoxos foram retirados: http://www.xr.pro.br/FC/GlossarioParadoxo.html

Continue lendo >>

sábado, 17 de outubro de 2009

Sim, eu vi Crepúsculo.


E me surpreendi com o que vi.

Não meus amigos, eu não me surpreendi por que o filme é bom, pois isso com certeza ele não é.

Me surpreendi por que ele é ruim, mas é ruim de uma maneira diferente da que eu pensava.

Esperava uma história fraca, personagens mal colocados na história, atores ruins (esses eu encontrei).Em compensação esperava um filme de ritmo rápido, como a maioria dos filmes adolescentes e com efeitos especiais de ponta.

Me enganei.

É totalmente o contrário

O ritmo do filme é mais lento do que o Inconformado respondendo no MSN, sério, você dorme nele.para uma produção atual, voltada para os jovens, isso é imperdoavel.Temos dialogos que passam muito devagar, com pausas desnescessarias, e uma história que só vai estourar no final.Só para vocês terem uma idéia só no meio do filme que ela (SPOILER)descobre que ele é um vampiro.

Além disso, os efeitos especiais são tosquíssimos.As cenas do galãzinho/boiola/sangue-suga Edward correndo são hilárias de tão toscas.Sem falar no figurino e fotografia de muito mal gosto.

Mas o filme tem algumas qualidades.Como as boas interpretações da heroína vesga Kristen Stewart (merecia um filme melhor) e do bigodon mardiito Billy Burke (que parece ser um ator rodado, mas é um bosta que só fez esse filme de conhecido, além da série nerd Star Trek:Deep Space Nine).Além de uma história, até certo ponto, criativa, que é prejudicada pelo ritmo fraco já comentado acima.

É um pena.Eu quase me surpreendi com o filme.Verei a continuação (não nos cinemas claro, esperarei o DVD como fiz com esse)esperando que a sequencia consiga me agradar.E se conseguir, não terei hipocrisias e falarei.Ou não :P

Continue lendo >>

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Blog Action Day 2009 - Reveja e Repense

Abaixo você confere algumas postagens mais antigas aqui do Blog com pequenos comentários. Lembrando que todas elas de algumas forma tratam de assuntos como Aquecimento Global e/ou mudanças climáticas. Vejamos:



- Último episódio de "A Família Dinossauro"

Nos anos 90, esta discussão era inexistente, entretanto, a série em questão tratou do assunto em seu episódio de despedida de uma forma emocionante. Acompanhe!

- O Caminho das coisas

Querendo ou não, somos todos consumidores. No Vídeo do link você vai acompanhar o caminho de suas coisas. Depois de assistir analíse bem se está mesmo na hora de você trocar de computador, de carro...

- Aquecimento Global? Eu Não Ligo!

Campanha publicitária muito bem feita com uma mensagem impactante!(para alguns)

Continue lendo >>
BlogBlogs.Com.Br