sábado, 11 de abril de 2009

Ainda sinto cheiro de Teen Spirit*





Como alguns já sabem, neste mês (mais precisamente dia 5 de abril) completaram-se 15 anos da morte de Kurt Cobain e, consequentemente, do fim da banda Nirvana.

O Nirvana foi uma das bandas mais controversas que o mundo da música já viu, obviamente não foram a primeira banda Grunge a vir de Seattle, vieram antes Green River e Screaming Trees, só pra citar as primeiras que veem a memória.

Todo o movimento Grunge consistia em um "rock de garagem" feito por diversas bandas, nos anos 80, vindas de Seattle , cidade norte-americana de onde veio o mestre das guitarras Jimi Hendrix.

O Nirvana surgiu no inicio dos anos 90 quase juntamente com muitas outras bandas de Seattle, inclusive Mudhoney e Mother Love Bone, ambas formadas por dissidentes da,  já extinta, Green River.

Querendo ou não, o Nirvana foi a Banda deste movimento que alcançou o maior sucesso na midia mundial, seu segundo disco, "Nevermind" conseguiu tirar Michael Jackson e Guns n' Roses das paradas de sucesso, um feito inacreditavel para qualquer banda de uma cidade interiorana, que se propunha a apenas "tocar por diversão".

Porém isto parece que não ter agradado interamente Kurt, o vocalista e líder da banda, que cada vez mais se dizia deprimido e se afundava nas drogas. 

O sucesso do Nirvana fez o com que todo o mundo se voltasse pra ver o que era aquele tal de movimento Grunge, que motivava os jovens a vestir camisas de flanela e sair tocando seu rock barulhento pelo mundo. Enfim, o "barulho" virou moda, os clipes do Nirvana ficaram gastos de tanto passarem na TV, foi esse movimento que motivou a criação de "rádios rock" pelo mundo (inclusive no Brasil), foi esse movimento que deu um fim ao, já saturado, Hard Rock do anos 80, foi esse movimento que ajudou a criar um cenário undergroud por todo o mundo. Todo mundo estava ouvindo o barulho, todo mundo estava usando camisas de flanela, todos estavam aderindo ao "movimento Grunge".

Um dos idealizadores de todo este movimento, Andrew Wood, morreu de overdose em 1990 e não viu o sucesso, sua banda, Mother Love Bone, convidou um novo vocalista e juntos com Eddie Vader criaram o Pearl Jam, banda que chegou a ser chamada de novo Nirvana, ja que seu disco "Ten" chegou a vender mais de 50 milhões de cópias.

Apesar de tudo isto, o que todas estas bandas queriam era fazer um som para o seu público, não queriam criar um movimento, fazer uma revolução, ou chegar ao topo das paradas. E tudo que acabou acontecendo incomodou diversos desses artistas, entre eles Kurt Cobain.

Cobain começou a recusar tocar grandes sucessos em eventos como o VMA da MTV. Aceitou fazer um acústico, mas não tocou nenhuma música conhecida, o show foi praticamente de covers de bandas que ele admirava. Inclusive, este acústico, foi uma das últimas apresentações ao vivo de Kurt, que se suicidou no dia 5 de Abril de 1994.

Foi o fim não só do Nirvana, poucos anos depois, em 97, o Soundgarden também declarava o fim. O Pearl Jam e o Mudhoney continuaram sua carreira, porém cada vez mais longe da midia e mais perto de "SEU" público. No fim, o movimento não passou de uma pseudo-revolução no rock, gerada pela mídia e não pelas bandas.

Lembrar de Kurt, não é só lembrar do Nirvana, lembrar de um movimento, ou de uma tragédia. Lembrar Kurt, é lembrar também do poder da juventude, do poder da música e, infelizmente, do poder da mídia.




* Teen Spirit é uma marca de desodorante que inspirou, indiretamente, a música "Smell Like Teen Spirit

1 comentários:

Capitão Brasil RADIOATIVO disse...

Não existe maior hino para a geração anos 90 do que Smells like teen spirit!

BlogBlogs.Com.Br