segunda-feira, 12 de maio de 2008

Créu!


Sim meus amigos!

Créu!

Por que vocês acham que um blog que comenta sobre bandas como Coldplay e U2 está fazendo um post com essa infame música?

Simples, vamos falar sobre a decadência da música nacional!

Ou melhor (ou simplesmente sinonimo), vamos falar sobre o FUNK!

Embora, nos USA o movimento funk já tenha começado na decada de 70, no Brasil, a pouca vergonha começou a incendiar mesmo na decada de 90.

Um dos primeiros cantores de funk, não era "funkeiro", nos referimos a o Gabriel, o pensador que criticou o presidente Fernando Collor de Mello, esse funk, embora ruim, era mais inteligente, e apresentava as criticas politicas não de maneira raza, mas com algum sentido.

Depois dele, vemos dois cantores que fizeram extremo sucesso em terras brasileiras, Claudinho e Buchecha, "embalando" as massas brasileiras com suas canções românticas.

Falar desses dois é muito difícil, afinal, só os corações mais enegrecidos não se sentiram pelo menos entristecidos (levemente, claro)com a morte de um dos integrantes da dupla, é muito triste ver um rapaz tão humilde morrer de maneira tão trágica, mas mesmo assim, isso não muda a minha opinião sobre a música dele e do seu irmão, depois do fim da dupla, o funk sumiu, felizmente, por um tempo.

Com a novela "América", em 2005, o funk voltou a ativa com força total, com "ídolos nacionais" como a Tati Quebra-barraco.

Bem, depois de fazer um "pequeno" (esse texto tá cheio de aspas ein?) texto sobre a história do funk no Brasil, vou resumir o que eu acho.

Mas, antes, quero deixar bem claro que não tenho NENHUM preconceito com pessoas que produzem ou escutam músicas de funk, até acho ridícula a ideia de associar este ritmo musical com o trafico de drogas.

Mas, sinceramente, o ritmo é UM LIXO CATARRENTO DE ULTIMA QUALIDADE.

Letras fulas, incentivos a coisas banais (é incrível ver crianças de 10 anos dançando musicas assim) e um básico resumo musical sobre a DECADÊNCIA de juventude no Brasil (e no mundo).

Sempre foi comum da juventude contestar, até ai tudo bem, mas que conteste DIREITO caramba!

Eu prefiro ouvir uma musica que fale sobre uma relação amorosa típica de comédias-românticas como a genial "Eduardo e Mônica" do que uma musica que se auto-afirma "de protesto" mas que no fim só faz resumir a situação no morro, filme excelentes como "Cidade de Deus" e "Tropa de Elite" já haviam feito isso de maneira muito melhor.

E olha que eu não sou o típico "nerd" no quesito musical, curto meu sambinha, ouço um pouco de música clássica, disco music anos 70, jovem guarda e etc, resumindo, não fico só preso no meu ritmo predileto, o rock.

Mas, é inadimissivel em um país com a diverssidade territorial e cultural do Brasil músicas como "Adulterio" estarem embalando jovens.

É meus presados, como diria Renato Russo:

"Nós somos o futuro da nação"

1 comentários:

INCONFORMADO RADIOATIVO disse...

É verdade, aliás, um dia na escola...eu quase que fico horrorizado com um FUNK que duas meninas de 15 anos estavam ouvindo, como todo "terrível" Funk últimamente a música tinha uma frase que se alastrava quase como uma lança no seu cerébro, que era mais ou menos assim:
"Abre as pernas e relaxa"

Sinceramente...eu fiquei em estado quase de total indignação com aquilo, primeiro que até meu cachorro escreveria uma música melhor, pelo menos com mais de uma frase...segundo que esse tipo de manifestação "sexual" que faz com que o cenário de música fique tão mal falado; Porque infelizmente o RUIM é mais falado que o bom...acabando ofuscando as boas bandas, e rotulando a música como um todo...infelizmente

BlogBlogs.Com.Br