segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Minha Infância na TV


Desde os tempos imemoráveis, a TV acompanha a humanidade rumo ao tédio supremo. Nesses dias de férias que eu estou tendo, voltei a praticar um dos meus vícios que é ver desenhos animados. No meio de tantos alienígenas adolescentes e animes esquisitos, sempre pipoca na minha cabeça as lembranças dos tempos gloriosos de Nickelodeon e Cartoon Network. Passei uns minutos no Youtube e fiz uma seleção das séries que marcaram a minha infância e acredito que de muitas pessoas também.

- Power Rangers

Quantos não foram os que brincaram de Power Ranger no recreio com a galera, recriando a mítica "Hora de Morfar", disputando com unhas e dentes o papel de Ranger Vermelho? A clássica série original que passava na Globo no fim do milênio ganhou uma legião de fãs e uma infinidade de sequências meia-boca que perduram até hoje. Na abertura, além da lendária cena dos morfadores, dá pra ver que a ranger amarela engorda uns vinte quilos depois da transformação. Mesmo assim, nunca mais haverá um lugar como a Alameda dos Anjos na TV.



- O Fantástico Mundo de Bob

Suspeito que nem tantos assim conheçam, mas Fantástico Mundo de Bob foi uma das figurinhas mais presentes nas minhas tardes. Dá pra ver logo pela abertura que o desenho tem um tom Nada convencional. Isso, combinado com uma equipe de dublagem liderada por Sérgio Rufino, me faziam viajar no tapete da sala de estar. Lembro até de apelidar meu macaco de pelúcia(?) de Bob em homenagem ao cabeçudo do desenho. Bons tempos de Fox Kids.



- Rugrats

Que grande epóca teve a Nickelodeon no início do século. Pra mim, o desenho que personifica bem essa fase do canal é Rugrats. Tanto a série adolescente quanto a original possuem uma aura de descoberta e de aventura dentro da rotina de uma família que exemplifica bem a infância e adolescência daquela geração. Além desse, haviam outros desenhos excelentes, como CatDog e Rocko, mas Rugrats me hipnotizava pela sutileza ao tratar coisas triviais da vida pelo ponto de vista de uma criança. A abertura do desenho já vale apenas pela música tirada de algum teclado de brinquedo.



- O Laboratório de Dexter

Esse desenho dispensa apresentações. Criado pelo cartunista russo-americano Genny Tartakovsky, Laboratório de Dexter fazia parte de uma safra sensacional de desenhos produzidos pelo Cartoon Network nos anos 90. Indicado ao Emmy Awards em 2004, esse desenho era extremamente bizarro e beirava ao nonsense. Além dos esteriótipos exagerados e referências nerds, o desenho foi responsável por originar uma outra série animada, Amigos da Justiça, uma sátira ao universo dos super-heróis onde o macaco de laboratório do Dexter aparecia vez ou outra com super-poderes. Eu era fascinado por Dexter, cara. Quem aí lembra o episódio clássico do Omelette Du Fromage? Tá fazendo falta desenhos com esse nível de qualidade por aí:



- Dragon Ball

Dragon Ball era o maior trunfo da Tv Globinho, sempre sendo exibido por último para obrigar a molecada assistir o programa até o final. Apesar das nhenhentas temporadas, a saga de Freeza é um marco no universo dos desenhos animados. Com o ritmo devagar que trouxe fama para a série, os episódios construiam uma tensão ao redor dos personagens, tornando cada mais inevitável um combate entre Goku e Freeza. Trazendo conceitos como treinamento em gravidade aumentada e golpes que abrem o mar ao meio, Dragon Ball ficou famosa e virou febre na epóca pela magnitude das lutas. Para os mais saudosistas, o Cartoon Network atualmente reprisa episódios da série e, em breve, o canal exibirá uma nova versão do desenho, com menos diálogos e mais fiel ao mangá homônimo. Fiquem aí com a Clááássica abertura do desenho:



-BeetleJuice

Baseado no clássico de Tim Burton, o personagem BeetleJuice foi apresentado ao público atráves do filme "Fantasmas Se Divertem" e ganhou uma série animada só sua em 1989, produzida pelo próprio Burton. Sendo exibida aqui no Brasil inicialmente na Record, BeetleJuice foi dublado no Brasil por Nilton Valério, o mesmo dublador do filme. Até hoje lembro de ficar comendo biscoito de chocolate com Coca-Cola enquanto assistia esse desenho cheio de humor negro. A abertura do desenho já é um show à parte:



- O Máskara

Misturando as histórias em quadrinhos com o filme, o desenho mostra o Máskara aloprado, com trajes e movimentos inspirados em Michael Jackson de Smooth Criminal. Um transmorfo e zoador inveterado, o protagonista fazia farra e combatia criminosos capengas, vivendo em uma cidade tão decadente e pertubada quanto Gotham City. Aliás, muito dos personagens que compõe a galeria de vilões do desenho são homenagens aos arqui-inimigos do Batman. Com a marcante dublagem de Marco Ribeiro, eu lembro desse desenho como referência em personagem porra-loca. Quando criança, repetia vários jargões do Máskara, coisas que falo até hoje e esqueço de onde vieram. Só pela abertura do desenho dá pra ver que o Máskara era demais mesmo.

3 comentários:

Felipizil disse...

muito bom o seu blog, mas o chaves, tv cruj, simpsons?

Felipizil disse...

não fizeram parte da sua infancia?

Rafael $aad disse...

ateh hj tenho um VHS do power rangers(aquele do video)

BlogBlogs.Com.Br