sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Scott Pilgrim: O Épico dos épicos

A adolescência humana é um dos acontecimentos mais intensos e insanos que se tem notícia. Um turbilhão de sentimentos e pensamentos que começam a aflorar nos corpos maduros de adultos em fase de transição. Todo jovem passa por certas coisas como os namoricos envergonhados, as tardes em frente ao videogame, as tensões em resolver os problemas do dia-a-dia, os ensaios na garagem alheia e as festas homéricas com os amigos. E todos esses pensamentos desembocam em "Scott Pilgrim Contra o Mundo", o filme que finalmente conseguiu sintetizar todos esses devaneios adolescentes em uma película.

No frio inverno de Toronto, o canadense Scott Pilgrim(Michael Cera) é baixista de uma banda indie, chamada Sex Bob-Omb, e divide o aluguel de uma casa com o homossexual Wallace (Kieran Culkin). Entre os ensaios da banda e uma leve paquera com a colegial nipônica Knives Chau (Ellen Wong), Scott se apaixona à primeira vista pela misteriosa americana Ramona Flowers (Mary Elizabeth Winstead) e decide namorá-la, mas, primeiro deve enfrentar a Liga dos Sete Ex-Namorados do Mal. A partir daí, o filme toma proporções titânicas, trazendo combates ao melhor estilo 16-bits e várias referências pops a jogos, seriados e filmes.


Numa primeira olhada, o filme pode parecer bastante surreal. Em certos momentos, o magrelo Scott Pilgrim adquire poderes quadrinescos empregados em derrotar sua recém-adquirida galeria de arqui-inimigos, como guitarristas alienígenas e indianos pirocinéticos. As lutas apresentadas no filme possuem um visual bastante inspirado nas histórias em quadrinhos e nos jogos de fliperama, chegando ao cúmulo de surgir moedas toda vez que algum adversário é derrotado.

Dentro do filme, existe uma fusão entre a música indie e os games de 16-bits que se estende para todo o resto da narrativa. As canções apresentadas pela fictícia banda Sex Bob-Omb são tão barulhentas quanto rebuscadas, bebendo bastante das tendências atuais. Grande parte da trilha sonora teve a mão de Brian LeBarton, tecladista e diretor musical da banda Beck, famosa entre os apreciadores da cultura indie.


Na trama, somos apresentados à figura misteriosa de Ramona Flowers, um nome já associado ao azar, graças ao longo período de tempo onde as rádios se recusavam a reproduzir musicas com esse título. A medida que a narrativa transcorre, vemos o "heróico" Scott Pilgrim ludibriar sua ex-namorada apenas para ficar com Ramona, porém, para isso, ele passa por uma série de problemas e complicações. Quem nunca sonhou em resolver as dificuldades da vida como os super-heróis fazem? Surrando o cara mal, resgatando a mocinha e salvando o dia? Mesmo assim, nada é tão simples assim e o protagonista paga pelas suas escolhas precipitadas.

Na direção, o britânico Edgar Wright demonstra uma paixão pulsante pelo seu trabalho, apresentando uma linguagem rápida, mas que não é confusa, o que casa bem com a geração atual que cresceu no meio de celulares e computadores. A montagem das cenas é excepcional, digna de ser documentada e distribuída nas salas das faculdades de Áudio Visual. O elenco, inspirado, é repleto de figuras pouco conhecidas pelo público, mas extremamente competentes. O protagonista Michael Cera entrega sua melhor performance, mostrando que nasceu para interpretar Scott Pilgrim. Dentro da Liga dos Ex-Namorados, temos super astros como Chris Evans e Brandon Routh, que aparecem pouco mas fazem bonito.


Baseado nos quadrinhos homônimos, "Scott Pilgrim Contra o Mundo" é a síntese da adolescência em frames, misturando toda a cultura pop de games, filmes e clichês românticos em um único filme. Assim como o autor da obra original em quadrinhos, Bryan Lee O'Malley, o diretor mostra que a vida é dividida em fases, como um jogo de videogame, e que não importa o número de vezes que você morra ao enfrentar o chefão, sempre existirá uma vida extra para você tentar outra vez. Fique com o trailer do filme mais épico de todos os tempos:


8 comentários:

Deilson Magal disse...

Jornalista... VC VAI SER SER JORNALISTA! Ou blogueiro...

Herley disse...

Foda, heim! Tô louco pra ver esse filme.
Graças a esse seu texto inspirado. (E ao trailer)
Muito boa a matéria.

Rialto disse...

Normalmente se conhece o blogueiro pela qualidade e pelo tipo de imagem que ele usa para abrir os seus posts!

E dá pra perceber nitidamente que vc é um blogueizão!

Cristiano Lagame disse...

Ahueuaue... Olha o hot link!!! Se ferrou! Usar imagem de outro blog dá nisso.

Oloco disse...

Adorei a imagem que ilustra este post! Passa bem o clima do filme

Fellipe Soares disse...

Muito boa a imagem do post. Está de parabéns!

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK'

Sr.C disse...

Cês são foda, cês são ducaralho...

Mas já voltamos a programação normal

rialto disse...

Nós somos do caralho, mas vc continua fazendo as coisas do modo errado.

Fazer hotlink é errado meo!

Baixe as imagens que vc quer usar e suba pro teu blog. Ninguém tem obrigação de ficar hospedando imagem pra vc.

Fikadik

BlogBlogs.Com.Br